Carrinho

1-Título em Português:

Doses de irradiação ultravioleta para inativação de coronavírus – revisão e análise de estudos de fotoinativação de coronavírus.”

  1. Hiperlink:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7273323/

Martin Heßling , Katharina Hönes , Petra Vatter , Christian Lingenfelder 

  1. Citação Importante:

“A desinfecção por radiação, especialmente a radiação ultravioleta (UV), é outra abordagem bem conhecida de inativação para todos os microorganismos e vírus conhecidos que oferece algumas vantagens sobre os desinfetantes líquidos e a esterilização por calor. Pode ser executada automaticamente e utilizada para desinfetar superfícies, líquidos, ar e salas, além de ser muito eficiente em termos energéticos.”

2-Título em Português :

“SANEAMENTO DE AMBIENTES ODONTOLÓGICOS NA REDE MUNICIPAL DA CIDADE DE CRICIÚMA, SC, BRASIL, MEDIANTE USO DE TECNOLOGIA ULTRAVIOLETA.”

2.1 Referência:

            Patrícia Duarte Simões Pires

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade do Extremo Sul Catarinense para obtenção do Grau de Mestre. Área de Concentração: Ecologia e Gestão de Ambientes. CRICIÚMA 2005

2-2 Citação Importante:

“A contaminação aérea é um agente secundário de infecção no consultório odontológico, sendo o ar um reservatório e um condutor dos microrganismos emitidos nos locais (IDLAS; QUERE, 1989; OSORIO, et al., 1995). O ar é imprescindível à vida. O ar não possui fronteiras e se dispersa livremente, levando consigo partículas, resíduos, gases, que vão se disseminar para outros ambientes, sendo, na maioria das vezes, nocivos à saúde dos seres vivos (SIRKIS, 1999). Concomitantemente aos atos operatórios dentários, existe um contato muito próximo entre os pacientes da área médica e odontológica dentro do espaço físico das Unidades de Saúde. Desta forma, pode se estabelecer uma relação de infecção cruzada, disseminando agentes patológicos desencadeando possíveis doenças entre os indivíduos presentes no local e em outros meios quando os pacientes retornam as suas atividades de rotina. A tecnologia que emprega as radiações ultravioletas, dentro do seu padrão bactericida e bacteriostático, é um instrumento que pode ser usado na profilaxia do ar de ambientes contaminados, sendo considerado um método eficaz e de baixo custo se suas condições de utilização forem respeitadas (IDLAS; QUERE, 1989).

3.Título :

IES Committee Report: Germicidal Ultraviolet (GUV) – Frequently Asked Questions

3.1Hiperlink:

https://media.ies.org/docs/standards/IES-CR-2-20-V1-6d.pdf

3.2 Citação Importante:

“A desinfecção do ar por GUV na sala superior é um meio primário de desinfecção do ar segura e altamente eficaz, desde que planejado, instalado, comissionado e mantido de acordo com as normas internacionais atuais padrões. Um consultor experiente é recomendado.”

4.Título :

 Melhores Práticas para Higiene e Limpeza em Ambiente Hospitalar 2019.

4.1Hiperlink:

https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=https://www.ccih.med.br/wp-content/uploads/2019/07/Higiena-ambiental-pdf.pdf&hl=pt_BR

Governo do Estado de São Paulo

 Divisão de Infecção Hospitalar / Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac” / Coordenadoria de Controle de Doenças / Secretaria de Estado da Saúde

4.2 Citação Importante:

“Dispositivos automáticos de luz ultravioleta móvel que emitem

continuamente UV-C na faixa de 254 nm podem ser colocados em quartos de

pacientes após a alta do paciente e realização da limpeza do terminal (Boyce et

al., 2011). Estes dispositivos podem ser configurados para matar bactérias

vegetativas ou para matar esporos. Estes sistemas reduzem VRE e MRSA e

Clostridium difficile (Boyce et al., 2011).”

  • Título em Português:

“Pandemia de novo coronavírus de 2019 (COVID-19): considerações ambientais construídas para reduzir a transmissão.”

  • Hiperlink:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7141890/

  Leslie Dietz , Patrick F. Horve , David A. Coil , Mark Fretz , Jonathan A.                   Eisen   Kevin Van Den Wymelenberg 

  • Citação Importante:

“A luz UV na região de comprimentos de onda mais curtos (254 nm UV C [UVC]) é particularmente germicida, e os equipamentos sintonizados nessa parte do espectro da luz são efetivamente empregados em ambientes clínicos para inativar aerossóis infecciosos e podem reduzir a capacidade de alguns vírus sobreviver.”

  • Título em Português:

“Susceptibilidade de aerossóis do vírus da gripe à luz UV-C.”

  • Hiperlink:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3298127/

          James J. McDevitt ,Stephen N. Rudnick ,  Lewis J. Radonovich 

  • Citação Importante:

“, as intervenções para prevenir a transmissão da influenza devem ir além do dogma tradicional de etiqueta da tosse, higiene das mãos e distanciamento social. Devido à sua velocidade de decantação terminal muito baixa, espera-se que partículas finas infecciosas, flutuadas pelas correntes de ar, permaneçam no ar por horas. Uma intervenção proposta para ser eficaz é a irradiação UV, também chamada luz UV-C, emitida por lâmpadas especializadas colocadas próximas ao teto. O efeito germicida da luz no espectro eletromagnético UV-C (especificamente a luz de 254 nm) é reconhecido há algum tempo.”

  • Título em Português:

“Efeito da Irradiação Germicida Ultravioleta em Aerossóis Virais.”

7.1 Hiperlink:

https://pubs.acs.org/doi/10.1021/es070056u#

      Christopher M. Walker ; GwangPyo Ko

  7.2 Citação Importante:

  “Ameaças ao bioterrorismo e possível disseminação no ar de novos patógenos, como coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS) e vírus da influenza estimularam medidas de controle de engenharia para impedir a transmissão aérea de microrganismos infecciosos em ambientes fechados. Um método de controle de engenharia atualmente recomendado para configurações de alto risco é o uso de irradiação germicida ultravioleta de 254 nm (UVGI)”

  • Título em Português:

 “Um modelo para escolha de um sistema de desinfecção por ultravioleta-C : relato de dois casos.”

8.1Hiperlink

https://www.ajicjournal.org/article/S0196-6553(16)31048-3/fulltext

Spencer,M ;Vignari, M ;Bryce, E;Johnson, H B; Fauerbach, L ; Graham

8.2 Citação Importante:

    “A desinfecção ambiental tornou-se a nova fronteira na batalha em curso para reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde. Evidências que demonstram a contaminação persistente das superfícies ambientais, apesar dos métodos tradicionais de limpeza e desinfecção, levaram à ampla aceitação de que é necessário reavaliar os protocolos de limpeza tradicionais e usar tecnologias de desinfecção secundárias. A desinfecção por ultravioleta-C (UV-C) é um tipo de tecnologia sem toque que se mostra um complemento bem-sucedido à limpeza manual na redução do ônus ambiental. “

  • Título em Português:

 “Controle da infecção adquirida no hospital: foco no papel do meio ambiente e das novas    tecnologias para a descontaminação.”

9.1Hiperlink:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4187643/

Stephanie J. Dancer

    9.2 Citação Importante:

    “A luz UV rompe as ligações moleculares no DNA em comprimentos de onda específicos, a fim de exercer seu efeito microbicida. A luz UV-C possui um comprimento de onda específico encontrado entre 200 e 270 nm (geralmente 254 nm), que se encontra dentro do segmento germicida do espectro eletromagnético (200 a 320 nm). As investigações dos efeitos da irradiação UV devem considerar a interação entre vários parâmetros diferentes, principalmente tempo de exposição, posição da lâmpada em relação à superfície irradiada, barreiras entre a fonte de luz e a superfície alvo, intensidade da luz emitida e extensão e fluxo de luz, movimento do ar. Tudo isso pode influenciar o efeito geral da radiação UV-C nas superfícies.”

  1. Título em Português:

Descontaminação de um quarto de hospital por ultravioleta-C: quantidade de luz UV necessária.”

10.1Hiperlink:

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0305417919300920?via%3Dihub

         Marie Lindblad udEva Tano bClaes Lindahl cFredrik Huss u d

      10.2  Citação Importante:

“A quantidade de radiação UVC recebida nas superfícies depende de suas localizações na sala (ou seja, distância do emissor UVC) e se algum objeto sombreia a luz. Neste estudo, sugerimos que controles de qualidade sejam usados ​​para garantir que a radiação UVC suficiente atinja todas as superfícies.”

Leave a Reply